Estrutura de madeira: ajudam o meio ambiente

Estruturas de Madeira.

As estruturas de madeira, largamente utilizadas no Brasil, podem ser produzidas com madeiras tropicais ou certificadas.

“As tropicais, devido às pressões ambientais, estão cada vez mais escassas. Em contrapartida, as de reflorestamento, como pinus e eucalipto, têm tido boa procura”, comenta o professor do Departamento de Engenharia de Estruturas da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP), Francisco Antônio Rocco Lahr, que já foi presidente do Instituto Brasileiro da Madeira e das Estruturas de Madeira (Ibramem).

 

Atualmente, há duas opções disponíveis no mercado: estruturas manuais e pré-fabricadas.

 

“As pré-fabricadas têm algumas vantagens, como execução mais rápida, garantia de fábrica, inclusive quanto à durabilidade, bom dimensionamento e preços competitivos. As manuais são mais indicadas em obras cujo projeto é cheio de saliências, recortes e reentrâncias”, explica o professor.

 

 

Principais vantagens do uso da madeira

  • – É renovável, abundante e altamente sustentável na natureza;

 

  •  – Possui elevada resistência em relação a sua baixa massa específica;

 

  • – Excelente isolante térmico e acústico;

 

  •  – Facilidade de trabalho e união das peças;

 

  • – Baixa demanda de energia para produção;

 

  •  – Pode ser reutilizada, por várias vezes;

 

  • – Tem custo relativamente baixo.

 

 

CUIDADOS

Os projetos de estruturas de madeira devem ser elaborados obedecendo aos requisitos da NBR 7190.

– Projeto de Estruturas de Madeira, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

 

A Construção tem de seguir as normas de segurança usuais para cada tipo de edificação a ser construída e ser realizada por profissionais qualificados.

Também é preciso que os carpinteiros obedeçam o projeto elaborado pelo engenheiro.

 

Pela NBR 7190, o projeto tem de ser composto por memorial justificativo, desenhos estruturais e, quando houver particularidades que interfiram na construção, plano de execução.

 

No memorial DESCRITIVO deve constar:

  • – A descrição do arranjo global tridimensional da estrutura;

 

  • – Ações e condições de carregamento admitidas, incluídos os percursos de cargas móveis;

 

  • – Esquemas adotados na análise dos elementos estruturais e identificação de suas peças;

 

  • – Análise estrutural;

 

  •  – Propriedades dos materiais;

 

  •  – Dimensionamento e detalhamento esquemático das peças estruturais;

 

  • – Dimensionamento e detalhamento esquemático das emendas, uniões e ligações.

 

 

Nos desenhos estruturais

É necessário apontar, de modo destacado, as classes de resistência das madeiras a serem empregadas (as peças estruturais devem ter a mesma identificação nos desenhos e no memorial justificativo).

 

 

 No plano de execução

Quando indispensável a sua inclusão no projeto, tem de ser acrescentado, entre outros elementos, os itens referentes à sequência de execução e a juntas de montagem.

 

www.casadoconstrutor.com.br